Professores, estudantes, gestores e pesquisadores do Brasil e da América Latina discutirão os desafios e oportunidades do ensino de cinema e audiovisual.


Entre os dias 20 e 23 de setembro de 2017, será realizado o XIII Congresso FORCINE – Fórum Brasileiro de Ensino de Cinema e Audiovisual, na cidade de Foz do Iguaçu, PR, com o eixo temático "Fronteira: Limites e permeabilidades". O evento reunirá professores, estudantes, gestores públicos, pesquisadores e profissionais da área do Brasil e da América Latina para debater os desafios e oportunidades do setor do audiovisual em seus diálogos com o ensino. O encontro também busca compreender quais são as dificuldades/fronteiras encontradas pelas escolas de cinema e audiovisual em seus diálogos com o(s) mercado (s). Ao longo desses quatro dias de congresso, também estão previstas mostras de filmes de escolas de cinema e audiovisual,

A escolha da Unila (Universidade Federal de Integração Latino-Americana) como local da realização do congresso dialoga com o eixo temático do evento. A universidade se encontra em um território de fronteiras entre Brasil, Argentina e Paraguai, o que possibilita intercâmbios culturais, expansão dos limites territoriais e integração com países vizinhos, tanto em suas particularidades como em suas práticas no campo do Cinema e Audiovisual no Brasil e na América Latina. 

Nesse período de quatro dias do congresso do FORCINE, os participantes terão um espaço dedicado ao relacionamento com instituições de ensino, agentes de mercado e gestores públicos, reunidos em mesas de debates e Grupos de Trabalho (GTs).  Tais debates serão matérias para a criação da publicação de textos da edição 2017 do Cadernos FORCINE Digital, que também terá contribuições posteriores de artigos, ensaios, entrevistas e relatos de experiências  no campo acadêmico e mercadológico em torno do eixo temático. O evento contará ainda, com exibição de obras audiovisuais produzidas por instituições de ensino de cinema e audiovisual, alocadas nos seguintes programas: Vencedores do I Festival de Brasília do Cinema Universitário; 4ª Mostra FEISAL (Federación de Escuelas de Imagen y el Sonido de América Latina); Les Ateliers Varant (escola criada na França por Jean Rouch e filiada ao CILECT – Centre International de Liaison des Ecoles de Cinéma et de Télévision) e Cinema de Animação da UFPEL (Universidade Federal de Pelotas, escola filiada ao FORCINE).  


 PROGRAMAÇÃO:

A cerimônia de abertura –  que ocorrerá no Campus Jardim Universitário da Unila - contará com a presença da Diretora presidente da ANCINE Débora Ivanov, além do Magnífico Reitor da UNILA, Gustavo Oliveira Vieira, da Presidente do FORCINE Alessandra Meleiro, Maria Dora Mourão (Presidente da CILECT), Esteban Ferrari (Presidente FEISAL) – por videoconferência e Virginia Flôres (Coordenadora do curso de cinema e audiovisual da UNILA).  Após a cerimônia haverá duas mostras no cinema JL Cataratas: a  Mostra FORCINE – Festival de Brasília com os filmes vencedores do I Festival de Cinema Universitário  e a sessão especial de abertura, com exibição seguida de debate do documentário “A Linha Imaginária”, de Cíntia Langie e Rafael Andreazza.


No segundo dia de programação, pela manhã, daremos inicio as atividades de mesas e grupos de trabalho. Logo pela manhã, a mesa abordará o tema políticas públicas e suas implicações no ensino e pesquisa do cinema e audiovisual da América Latina. “A mesa propõe um debate sobre Políticas Públicas para o Cinema e Audiovisual por meio de relatos de experiências e reflexões de como a pesquisa, o ensino e a extensão têm contribuído para pensar e tensionar as estruturas e dinâmicas próprias do setor na América Latina. O ensino do cinema e audiovisual relaciona-se com a área das políticas culturais por diversas linhas, dentre elas destacam-se os estudos sobre a geração de inovação e a qualificação para o fortalecimento do campo. Nesse sentido, a discussão proposta sobre políticas públicas apresentará também o contexto atual do setor permeado por instabilidades e ameaças, mas também por potencialidades”. À tarde, o primeiro dos Grupos de Trabalho (GTs) discutirá  convergência e múltiplas plataformas na grade curricular: teoria e prática nos cursos de cinema e audiovisual, cuja ementa é: “Teorias, métodos e práticas para lidar com os novos cenários criativos, de produção e distribuição instaurados pelo digital representam também novos desafios no cotidiano dos cursos de cinema e audiovisual. Este GT pretende discutir estes e outros aspectos atinentes a esta problemática”. No mesmo dia, simultaneamente, ocorre o segundo Grupo de Trabalho (GT2) sobre Estratégias de capacitação para atuação de egressos no(s) mercado(s) de cinema e audiovisual, que abordará  as dificuldades e questionamentos que permeiam o cotidiano de quem busca atuação no mercado de trabalho de cinema e audiovisual. Segue breve resumo do GT2: “Nos últimos anos, o mercado de cinema e audiovisual tornou-se variado e complexo com novas demandas e exigências para os egressos das escolas de cinema. Tal fato exige das escolas a atualização e adequação constante de seus currículos e práticas didáticas, de modo a dar aos alunos condições plenas de inserção em um mercado que se modifica o tempo todo. Como responder às necessidades de atualização técnica? Como preparar o aluno para as novas formas audiovisuais criadas pelas novas mídias? Qual é a relação, nesse contexto, entre Cinema e Empreendedorismo? Essas são algumas questões que o grupo de trabalho pretende discutir, contribuindo para que as escolas de cinema, cada uma de acordo com suas circunstâncias, possam estabelecer estratégias eficazes que possibilitem aos seus egressos capacitações adequadas para enfrentar com sucesso os desafios da inserção no mercado de trabalho”. O dia será encerrado  com a mostra Les Ateliers Varan.


Na programação do terceiro dia, pela manhã, haverá uma mesa de debates entre educadores , gestores e profissionais que atuam no mercado audiovisual. A discussão será focada na maneira como o novo ferramental e técnicas podem auxiliar o processo educativo de audiovisual: “Novas tecnologias e modos de difusão para o cinema e o audiovisual brasileiro na contemporaneidade. Formas de difusão de curtas-metragens universitários no âmbito das escolas. A importância de diferentes plataformas de difusão para os conteúdos brasileiros, utilizando novas tecnologias. As possibilidades de ações em rede para ampliação do acesso aos produtos audiovisuais nacionais, a partir de cinemas universitários e outras janelas de exibição”. À tarde, o encontro  discutirá a gestão tecnológica das escolas de cinema e audiovisual. Os convidados de diferentes universidades trarão propostas “de recursos tecnológicos para o ensino de cinema e audiovisual nas escolas brasileiras em nível superior e técnico. Políticas de atualização e uso de equipamentos para (1) realização audiovisual live-action (imagem e som), (2) hardware para realização de animação, motion design, montagem e finalização de imagem e som e (3) licenciamento e uso de softwares dentro do ensino de cinema e audiovisual”. O último GT tem como enfoque o diálogo sobre a estrutura curricular com professores e pesquisadores brasileiros e latino-americanos. Breve resumo: “A gestão pedagógica do ensino de cinema e audiovisual nas escolas de cinema e audiovisual em nível superior e técnico. Processos formativos para os profissionais do século XXI. O desenho da matriz curricular em meio a novas perspectivas tecnológicas, estéticas e econômicas”. Ao fim do dia serão exibidos os filmes da 4ª Mostra FEISAL.

No último dia do congresso, pela manhã, o fórum realiza a assembleia geral com as escolas associadas e à tarde será exibida a Mostra de Animação da UFPEL.


SOBRE O CONGRESSO FORCINE

A metodologia de trabalho empregada nos congressos do FORCINE visa proporcionar espaços de trocas de experiências e relatos de práticas, no âmbito do ensino, das políticas públicas e das relações escola-mercados de trabalho de cinema e audiovisual. Nesse sentido, espera-se contribuições de docentes, gestores de políticas públicas e profissionais dos diversos mercados da cadeia audiovisual nos debates, divididos por temas e alocados em Mesas e Grupos de Trabalho (GTs) durante o evento. Tais debates nortearão a produção de textos da edição 2017 da publicação Cadernos FORCINE Digital, que terá chamada lançada após o evento para artigos, ensaios, relatos de experiência e/ou entrevistas. A publicação será organizada em torno do eixo proposto para o presente encontro.

O congresso é uma correalização da Universidade Federal de Integração Latino-Americana (UNILA) com o Fórum Brasileiro de Ensino de Cinema e Audiovisual (FORCINE).


SERVIÇO:

XIII Congresso FORCINE – Fórum Brasileiro de Ensino de Cinema e Audiovisual

Data: 20 a 23 de setembro de 2017

Onde: 

UNILA (Universidade Federal da Integração Latino –americana)

 Tarquínio Joslin dos Santos, 1000 – Foz do Iguaçu – PR - Campus Jardim Universitário

Cine JL Cataratas

Av. Costa e Silva 185. Centro – Foz do Iguaçu – PR

Contato: contato.forcine@gmail.com

Saiba mais: https://congressoforcine2017.wordpress.com

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

   

 

 

 

 

 

Imagem Lauri

LAURI é um documentário sobre Lauriberto José Reyes: jovem revolucionário, célebre nome da luta contra a Ditadura Militar brasileira, realizado como Trabalho de Conclusão de Curso de alunos do Bacharelado em Imagem e Som.

Lauri Reyes nasceu em São Carlos (interior de São Paulo) e se mudou para São Paulo (capital) para estudar Engenharia na Politécnica da USP. Integrou a UNE (União Nacional dos Estudantes), a ALN (Ação Libertadora Nacional) e o MOLIPO (Movimento de Libertação Popular). Em fevereiro de 1972, aos 26 anos, foi assassinado pela Ditadura Militar.
Queremos contar sobre Lauri. E assim, contar sobre a história recente do nosso próprio país.

O curta documental está em campanha de financiamento coletivo através da plataforma Vakinha até dia 28/08/2017 no link https://goo.gl/aw9I0l.

Assista ao vídeo promocional do documentário em https://goo.gl/pggqrn

Arte Geralda

O curta metragem Geralda, atualmente em fase de pré-produção, e realizado por alunos do Bacharelado em Imagem e Som, seleciona atores na cidade de São Paulo para integrar o elenco da obra de ficção.

Trata-se de uma obra de aproximadamente quinze minutos: Geralda é uma senhora que ficou viúva recentemente, após ser casada por mais de 50 anos. Observando os porta-retratos que enfeitam sua casa, ela percebe o quão pouco havia mudado em todo aquele tempo e quanto ela havia abdicado de seus próprios gostos pela família. Com a ajuda de sua neta, ela reorganiza seus móveis e, no processo, se reconecta com sua juventude, seus sonhos esquecidos e descobre uma nova perspectiva para o futuro.

A equipe do curta busca atrizes da região, independentemente da experiência, para dar vida às personagens. As selecionadas receberão cachê pelo trabalho. Enviar nome, idade, papel desejado e portfólio de foto e vídeo para geraldafilme@gmail.com com o assunto CASTING SÃO PAULO - (Nome da personagem).

O período do casting em São Paulo será 06 e 07 de maio de 2017.

Perfis
GERALDA - entre 60 e 70 anos; Teimosa, energética e impaciente, carinhosa com filhos e netos e apaixonada por Roberto Carlos.
ELEONORA - entre 65 e 85 anos; Senhora mais velha, vizinha de Geralda. Ativa e alegre, gosta de conversar e cozinhar.
FABIANA - entre 40 e 50 anos; Filha de Geralda, mãe divorciada e um tanto conservadora. Tem o hábito de se preocupar demais com as coisas da vida.
GIOVANA - entre 17 e 24 anos. Neta de Geralda, uma jovem criativa, engajada e de espírito livre. É sociável e gosta de experimentar coisas novas.

Casting Geralda

Contato
Email: geraldafilme@gmail.com
Página do projeto no Facebook https://www.facebook.com/FilmeGeralda
Perfil da Produtora do projeto: https://www.facebook.com/recy.cazarotto

Banner Rapaz em Amarelo

Brasil, 1981. Alberto é o novo estagiário da Lima Advogados Associados. Sua presença e sua peculiar afeição pela cor amarela despertam a atenção de todos os funcionários, especialmente a de Rodolfo.
 
O projeto Rapaz em Amarelo é um curta-metragem de temática LGBT realizado como Trabalho de Conclusão de Curso de alunos do Bacharelado em Imagem e Som.


Com inspirações no Camp, na pornochanchada e nas vivências gays dos anos 1980, o filme coloca em pauta conflitos entre diferentes masculinidades homossexuais através da relação entre o não-assumido Rodolfo e o jovem afeminado Alberto. Encabeçado por uma equipe de homens gays e mulheres, o filme dá voz a minorias historicamente silenciadas ao refletir na tela suas vivências e questões.


O curta está em campanha de financiamento coletivo através do Catarse até 09/06/2017 (catarse.me/rapazemamarelo) e, ainda, comercializa cotas de patrocínio (ver link https://goo.gl/4ZyBgB). Assista ao vídeo do Catarse em https://youtu.be/pKXjYj2VT9I.


Para mais informações acesse a página facebook.com/rapazemamarelo ou entre em contato através do email rapazemamarelo@gmail.com.

 


 

 

 

 

 

 

 

VII Jornada de Estudos em Educação Musical

20, 21 e 22 de JULHO de 2017

São Carlos, SP

          A Jornada de Estudos em Educação Musical é um evento que visa auxiliar na formação continuada de profissionais para o uso da música como ferramenta de trabalho e expressão; incentivar o estudo, o desenvolvimento e a aplicação de novas metodologias nas diversas áreas de atuação do Educador Musical; provocar o senso crítico de profissionais e estudantes em relação a questões científicas, educativas, sociais, filosóficas, culturais e profissionais no âmbito da Educação Musical e estimular a produção científica básica e aplicada na área.

 

Para maiores informações, contato e inscrições, acesse: https://jornadamusical2017.faiufscar.com/

 

 

 

 

Tema: Educação Musical em Coletividade

          Mais do que o ensino coletivo de música, quando pensamos em educação musical em coletividade, falamos daquele ensino preocupado com a formação integral dos seres humanos envolvidos, e que acredita que não se pode aprender música isoladamente. Nós, seres humanos, somos seres sociais, incompletos, aprendemos nas relações uns com os outros, por isso não se ensina sozinho, assim como também não se aprende ou se faz música sem interação humana. Nesta edição da JEEM, vamos compartilhar e vivenciar experiências não só de ensino coletivo de música, mas também de espaços onde a música é feita em coletividade, de forma colaborativa, porque a educação musical é mais do que a instrução de algum instrumento, é a relação que se estabelece entre a música, os seres humanos e o mundo.

#vemprajeem #jeem2017 #7jeem

 

 

 

Outros links de interesse:

E-mail: jeemufscar@gmail.com | submissaojeem@gmail.com

Facebook: https://www.facebook.com/jeemufscar/

Academia.edu: https://independent.academia.edu/jeemufscar

 

 

 

 

 

Subcategorias