Instalação Interativa l 2005

Longe de ser uma espécie em extinção, Homo_anonimus se reproduz por todos os cantos das grandes cidades, onde as escolhas são muitas e todas levam ao anonimato. Nesse ambiente hostil, terá o Homo_anonimus vontade própria? Se por um lado, não há nada mais atraente do que se sentir anônimo e conquistar uma suposta liberdade para se estar em qualquer lugar, se fazer o que quiser, ou ainda, ser o que quiser; por outro, uma grande sensação de vazio, solidão e outros abalos emocionais podem vir à tona e denunciar o quão perversos o mundo e a sociedade contemporânea podem vir a ser.

 

Por Graziela Lautenschlaege

Em parceria com Andrea Vieira Gonçalves, Lilian Motti, Daniel Guedes Evangelista e Isabel Anderson

 

http://grazielelautenschlaeger.com/portfolio/homo_anonimus/